Milagres diários


Certo dia,ao descer em uma cidade distante da minha, uma senhora me desejou boa sorte.
Aquelas palavras cheias de otimismo e boas vibrações , que eu já havia ouvido centenas e por que não dizer milhares de vezes, me invadiram algum lugar da mente que estava inativo e me fizeram pensar.Como assim boa sorte?Pensei na palavra de várias formas, exclamariva, interrogativa final,e tentava me lembrar de algum episódio em que a sorte havia chegado muito perto de mim.Não era chegada a ela, nunca ganhei em apostas, nunca achei nada de valor,nunca escapei de um tiroteio.
Aquela palavra não cabia em minha vida.
Voltei para minha cidade e a palavra não saía da minha mente.
Comecei a observar as pessoas em minha volta,algumas com seus relacionamentos pródigos, outras com seus carros importados,outras com seus empregos tradicionais bem diferentes do meu.
E ao sentar-me bem pertinho da minha casa em uma praça arborizada,pensei em minha tragetória até ali,vi os amores que tive que não foram poucos, mas fopram infinitamente maravilhosos.Pensei nas filhas que tenho,perfeitas de alma de caráter.O físico é só uma questão de sorte, a alma é uma questão de milagre. Observei uma folha cair da árvore lentamente, bailando no ar, uma sinfonia ouvida só por nós duas,e uma borboleta,das mais simples vistas nesta área, pousou em minha bolsa,e pensei na minha sorte de estar ali naquele momento, para viver aquilo.
Nossa sorte está nos pequenos acontecimentos diários que conseguimos enxergar.
No tempo que nos doamos e nos sinais que Deus nos manda mostrando o quanto somos importantes pra ele.
O vento soprou em meus cabelos refrescando aquela tarde perfeita.
Poderia reclamar de estar só naquele momento, poderia lembrar da solidão que me angustia muitas noites.
Mas ali, naquela hora, com a delicadeza da natureza á minha volta.
Senti o vento enlaçar-me com singeleza,me senti querida,grata.
Pensei na sorte como um todo...
Falei baixo, mas sozinha, o que alguém que estivesse passando poderia interpretar como loucura.
_Obrigada Deus,mas não me mime tanto!
Cheguei em casa, feliz de tanta sorte em ter tempo de olhar para os pequenos milagres diários.
Share on Google Plus

7 comentários:

  1. Acho que a solidão é o momento mais propicio a abrigar o diabo, não é o Senhor


    www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Iza,
    Você não é filha da sorte...ninguem é. Tudo que temos, vemos, criamos de bom ou não nesta vida é porque merecemos. Estamos apenas colhendo...Não acredito nessa coisa de sorte. Acredito na força do querer que pode transformar tudo. Mas, entendi, perfeitamente, o que voce disse. Sinto-me assim , tb, diante de várias coisas.
    E aproveito meus momentos de introspecção para ter essa conversa diária de agradecimento ao Nosso Criador. Somos todos abençoados pelo Amor Incondicional do Altíssimo Senhor de Tudo!

    Parabéns pelo post!
    beijos♥

    ResponderExcluir
  3. Gostei do texto minha amiga! Devemos realmente ser agradecidos a todo momento pela dádiva que é poder viver, livres e construindo sonhos, mesmo que um tijolo por dia!

    Abraços renovados!

    ResponderExcluir
  4. Oh!!! q coisa boa, Iza...
    Obrigada por ter linkado meu Blog. O prazer é todo meu, viu?
    beijão♥♥

    (Sempre de olho em você!)

    ResponderExcluir
  5. nana parabens adorei estarei voutando para ler novidades suas bjs conhessa o meu tam bem

    http://statusfrancys.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá Izabelle! Muito prazer! Sobretudo, textos como este "Milagres diários" nos conferem motivação, bom ânimo. Obigada! "Que Deus me conceda a graça de saber dar graças pela graça de tantas graças" Acho que quem disse isto foi rainha Elizabeth. Cada um de nós a seu modo, possamos ter a graça de sermos grato. Fraterno abraço! (clara-mei, amiga ao dispor) ah! estou grata, hoje, pelo início de nossa amizade.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar em meu Blog, sua visita é uma honra, caso deseje fazer alguma solicitação pode usar meu e-mail valladares@grupoliterarte.com.br