A beleza perdida!








Há muitos dias a tristeza tem imperado em minha vida, não conseguia mais enxergar no ser humano nada além de inveja, falsidade e dissimulação.
Crueldade voraz e vil que acabou destruindo praticamente um grande mover do que eu acreditava ser cultura.
Acordei no desânimo que ando nos últimos dias, não por culpa. porque tudo que foi prometido se cumprirá, mas por ingenuidade de achar que o bem se responde com o bem.
Acabei sendo forçada a ir em uma festa onde muitas crianças da rede escolar municipal de minha cidade, fariam apresentações sobre a música e a arte em geral e , como minha filha , é uma dessas crianças deste grupo,apesar de não se apresentar neste dia, eu não poderia deixar de ir.
Fiquei bem pertinho do palco, pois sempre sou convidada a dar algumas palavras sobre a arte, pois sempre me envolvi nos movimentos culturais daqui .
O que eu não esperava , era que uma avalanche de sentimentos, tomariam conta de mim.
As crianças se apresentaram com toda a humildade que lhes é de direito, sem fazer diferença entre as roupas mais bonitas ou o penteado com mais gel, todas perfeitas, com a singeleza que eu não consigo mais enxergar no ser humano.
Os ritmos iam entrando um a um, enchendo as mães de felicidade, o público de alegria e as crianças de orgulho de estarem cumprindo sua parte.
O apresentador, uma pessoa alto astral, como eu sempre fui, brincava e se expunha no palco, sem cobranças , sem achar que mencionar o nome de Strauss errado, poderia um dia acrescentar algo negativo em seu currículo.
Maracatu, forró, funk, música Erudita, Hip Hop, até um cover do Justin Bieber , ( que eu adoro) se apresentou, o ponto alto da festa , foi uma escola que levou Michael Jackson com a música Beat it, e no final, como era dia 29/08 e seria o dia do aniversário do rei da música Pop, entrou uma Madona Cover com um bolo cantando parabéns em inglês, isso entre crianças de até 6 anos de idade.
E eu , pensava na vida infantil, na magia daqueles sorrisos inocentes, que estavam ali só pelo bem estar de estar, na energia positiva que emanava de cada uma delas.
Quando fui chamada ao palco, para falar um pouco de um projeto da qual faço parte, criado pelo poeta Paulo Silveira, que se chama "domingueira" e é um projeto direcionado para crianças, tentei e a voz não vinha.
As lágrimas começaram a descer do meu rosto compulsivamente, e as pessoas olhavam sem entender, pois sou alto astral, sempre trabalhei com festas e carnaval, e não conseguia falar, o apresentador me abraçou e as coisas pioraram, pois queria me achar e não era possível neste mar de injustiças em que estou tentando submergir.
Queria achar o verdadeiro motivo de estar ali, falando de cultura pra uma gente carente que esperava que eu dissesse que a literatura no Brasil tinha futuro, olhando aquelas centenas de olhinhos brilhantes, ao lado da minha filha com a expectativa de minhas palavras que sempre foram de orgulho, otimismo e força e ver que eu, não podia falar pra elas, que a cultura em nosso país tem futuro, por que na verdade não tem.
Cansei desse mundo virtual cheio de gente má,de gente que não tem endereço tem email, que não tem carater, tem orkut que não tem zelo, tem anti spam.
Excluí meu orkut, pois a foto de minha filha circulou no meio de mentiras e calúnias,criadas por gente que não tem o que fazer.

Entrei uma no palco, saí outra, pois não tenho mais vontade nem de escrever, que era o que eu mais amava.
Parabéns a quem veio ao projeto só para destruir, pois tudo será provado, todos os resultados sairão, todos os livros serão publicados, mas o nosso tempo gratuito dedicado a cultura, a paciência de orientar aos iniciantes, á paciência de levar 1 mês criando um blog para votação. Este senhores, nunca mais vocês terão.
Antes eu tinha amor pela arte, hoje tenho nojo, e se eu pudesse fazer o tempo passar rápido, pularia para dezembro, para ver todos os resultados publicados,todos os livros entregues, todos as pessoas que não acreditaram, de cara no chão.
Mas para isso, eu vou ter que esperar, pois não depende só de mim, e os agentes, de selos editoriais importantes, na maioria das vezes, ficaram sem entender, como os emails deles foram parar nas mãos de pessoas que nem do meio literário são,mas de uma coisa eu tenho certeza, os amigos se mantiveram firmes e disso eu muito me orgulho.
Á estes dedico hoje as minhas lágrimas, por saber que se um dia estiverem no topo, encontraram pessoas invejosas para tentarem inescrupulosamente te parar.
Só lamento por vocês, eu estou somente no aguardo que as cortinas se fecehem para poder me retirar deste palco, de cabeça erguida.
E a classe?
Bom esta, continuará em sites de fachada dedicando bom dia, boa tarde, publicando inumeras vezes suas sinopses para receber opiniões de pessoas que não as lerão, e simplesmente te dirão"muito bom".
Izabelle Valladares.



Share on Google Plus

Um comentário:

  1. Oi amiga querida.
    Como eu queria que nada disso tivesse acontecido na sua vida.
    Mas saiba de uma coisa.
    Deus te colocou no meu caminho. Desde o começo, quando me registrei no seu projeto, acreditei. E jamais deixarei de acreditar. Quando se é honesto e verdadeiro, não é necessário provas para provar o caráter de uma pessoa.
    Voce sempre provou para mim o seu caráter, e isso a gente não consegue provar. A gente sente.
    Amigo a gente conquista, não se compra.
    A única coisa que eu peço a Deus, de verdade, é para que o meu livro venda e exploda nesse Brasil e no mundo, para que o seu nome - que está na parte de Agradecimentos - venha ser mais reconhecido e honrado do que já é. Por que voce faz parte do meu livro. Isso pra mim já um motivo de muito orgulho.
    Apesar da distância, ser sua amiga me sentir forte e feliz.
    SEja feliz querida amiga.
    Siga em frente.
    Beijos.
    Eunice Routhe
    Autora do Livro Trissomia 21

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar em meu Blog, sua visita é uma honra, caso deseje fazer alguma solicitação pode usar meu e-mail valladares@grupoliterarte.com.br