Alguém aí lembra do grupo " Menudo"?

Gentemmmm, como o tempo passa e as vezes nessa profissão de escritor, viajamos no tempo e na maioneze, estava eu aqui, ás 2 horas  e 4 minutos, da manhã, buscando inspiração para escrever sobre os jovens, para o livro "Papo Cabeça" que será lançado na Bienal do Rj, e pensei em pessoas que me lembrassem o comportamento dos adolescentes ( Tenho duas e meia em casa... Meia por que a de 8 é meio precoce, rsrs) enfim, e tentando entrar neste universo, eis que me vem a mente, Justin Bieber, ( Lindo, diga-se de passagem)









mas o lance, cresceu, e me lembrei que eu também já fui fã de carteirinha, louca, alucinada, apaixonada, e eis que surge a inspiração para escrever.
Em primeira mão para vocês, minha crônica para o livro "Papo cabeça" com o título " Vida de fã", depois do texto algumas informações básica, e o que é mais triste (Tirando o Ricky Martin)... A foto deles antes e depois rsrs, Beijão e vamos que vamos!


Ah! Não se esqueçam de colocarem os neurônios para trabalhar, a Bienal do RJ é um acontecimento ímpar na vida de um escritor, não perca esta oportunidade, quem não é visto não pode ser lembrado!
Aguardo seus textos.Solicitem regulamento.


Quer participar da Bienal do Rio de Janeiro?




Vida de fã

Uma das coisas que eu sei que acontece na vida de 99,9 % dos adolescentes, é ser fã de alguém.
Ser fã, mas ser fã mesmo, de verdade, sonhar aventuras amorosas, chorar quando perde o programa que aquela pessoa irá aparecer alguns minutos, colar os olhos na televisão para não perder “nadica de nada” , nem se ele respirar de um modo estranho, e você achar que de alguma forma seu ídolo suspirou pra você.
Pois bem os meninos, normalmente são fãs das gostosonas que conseguem alcançar  a fama com muita coisa pra fora e com muito  pouco talento pra dentro, ou por jogadores de futebol, do time favorito.
As meninas por sua vez, preferem ser fãs de meninos que invadem a mídia e acabam tornando-se ícones de suas  vidas.
Eu,já não sou mais uma adolescente, mas confesso já fui fã.E até hoje, muitos anos depois, confesso que quando sei de alguma notícia dos meus ídolos, paro alguns minutos em frente a TV e sorrio internamente lembrando de coisas engraçadas e de momentos que me fizeram, rir, chorar, me descabelar e até me machucar por conta dos meus ídolos,mas vou contar um pouco desta história de fã, meio doida mas inesquecívelmente  a mais marcante do início de  minha adolescência.
Lembro-me perfeitamente da primeira vez eu os vi....
Era um sábado chuvoso de inverno e pra mim, não faria muita diferença, tinha 10  anos e sair não era uma prioridade em minha vida.
O nome do programa era “Viva a noite” ( Não me chame de velha hein?) ... O apresentador era Augusto Liberato o Gugu, durante todo o programa ele anunciava no programa que viria cantar uma banda que era de Porto Rico,  ... É,só de falar este nome as pessoas já associam ao Ricky Martin, recentemente saído do armário rsrsr, mas , na época, mesmo sem o Rick Martin, o grupo internacional, conquistou não só o meu coração, mas minha voz, meus pensamentos, o dinheiro dos meus pais, meus minutos, meus ouvidos , enfim... Meu e de todas as meninas entre 10 e 15 anos que eu conhecia, e quando Gugu, chamou ao palco a banda,que entrou no estúdio de bicicleta, para dar a sensação que eram esportistas,causando sensação e eu não sabia que estava nascendo ali, uma das raças femininas mais alucinadas por seus ídolos que já existiu...As Menudetes
É queridos, esta é uma realidade, eu já fui uma Menudete, os Menudos entraram no Brasil na década de 80 com força total , e quem não tinha um disco, aliás , disco mesmo, aquele bolachão preto, chamado LP , do grupo Menudo, estava fora de moda,e foi assim que começou uma das aventuras mais incríveis de minha vida.
Você é fã do Justin Bieber? 
Apaixonada pelo Fiuk ? 
Louco pela Beyonce¿
 Doido pela Shakira, pois bem...Pasmem...Eu beijei um Menudo!
Camisa, revistas, botons, brincos, copo, lençol, caderno, chaveiro, faixa de cabelo, enfim ... Tudo que você puder imaginar do Menudo  eu tinha., amava a todos, Rick, Roy, Charles,Ray  e Robby, formavam o quinteto que abalava as multidões, levava as meninas a histeria e descabelavam as diretoras de escola, porque não havia outro assunto.Em uma época em que no Brasil só haviam computadores nos órgãos do governo, chamados de Super cobra que ao contrário dos Net Books , cupavam cada um ,um paredão de uns dois metros, e as noticias não corriam em fração de segundos, via internet, mas, menudete que se preze, não precisa de tecnologia, e nós sabíamos de tudo dos menudos, o que gostavam de comer, quem já tinha namorado, quem tinha cicatrizes, quem tinha irmãos, os nomes completos, os nomes dos pais, local onde estudou, enfim...tudo é tudo mesmo, e eu, não ficava de fora.
Meu preferido era o Charlie , e eu sonhava com aqueles cabelos cacheados e aquele sorriso estonteante, mas gostava de todos.
Quando chegou o aniversário de treze anos de minha irmã, no mesmo final de semana, houve um show do Menudo no Estádio São Januário, e é lógico, aquele seria o presente dela e eu, não deixaria de pegar carona naquilo.
Jurei que no meu aniversário,que era dois meses depois, já estaria tudo pago, e que de forma alguma iri pedir mais alguma coisa. Nossos pais não se motivaram a ir, mas, permitiram que fôssemos com uma amiga deles, em uma excursão.Naquele tempo, menores podiam entrar em qualquer lugar acompanhados de um adulto, e lá fomos nós,quando chegamos,  a fila  já virava o quarteirão, era uma coisa horrível, pior que a tradicional chegada de papai Noel no Maracanã, mas, lá estávamos firmes e fortes, só não contávamos com um imprevisto...
Não compramos ingressos antecipados, e quando chegou a hora de compramos, de longe, os ingressos já tinham se esgotado, nem a opção mais barata, cabia em nosso orçamento, o que decidimos fazer ?
Como estávamos juntos, iríamos comprar, um monte de coisas gostosas, sentar do lado de fora, fazer uma espécie de pick-nic e cantar juntinho com eles(a distância)... Danadas da vida, diga- se de passagem, do lado de fora, sentadas no meio fio (aff), esta foi a pior parte, cantaríamos as músicas dos seres humanos mais perfeitos da nossa galáxia.
E foi o que fizemos, meio que rindo, meio que chorando, nos afastamos, calamos nossa frustração e começamos a falar abobrinhas do tipo...
"_Ah, já me disseram que pessoalmente não são tão bonitos"
“_Rick é feio”
 “_ Charles te espinhas”
 “_ O topete do Robby já deu o que tinha que dar” Ray, tem uma beiçola”
O nome disso? Despeito e frustração, e lá ficamos as menu-pobres, comendo bombons e biscoitos e esperando a hora, do bendito ônibus que nos levaria para casa passar...
Mas eis que surge o milagre ...
A van que levava os cantores, para despistar a multidão, passou exatamente pela rua onde estávamos, quando vi a cara, do Robby na janela, eu não conseguia nem falar, com a dificuldade de passar pelas ruas lotadas de carros mal estacionados, a van foi ficando lenta, lenta, e os meus pensamentos rápidos, rápidos.
Não hesitei, corri o máximo que eu pude, passei pela lateral dos carros estacionados, pulei o capôt de um dos carros, e lá na janela... Beijei na boca do Robby, ele sorriu pela situação inesperada, e eu, passei um guardanapo na boca e colei na agenda ao lado do papel de um bombom que eu comi naquele dia... E  o pior vocês não sabem, as fofocas correm, e por uns dois ou três dias, eu virei celebridade na escola e na minha rua, afinal, eu era a doida que pulou no caput de um carro, mas, heroicamente em uma cena de Dublês beijou seu ídolo na boca por alguns instantes, é lógico que eu preferia o Charlie, mas... o Robby era o que tinha, e foi uma das coisas doidas que fiz e nunca me arrependi.
Hoje quando vejo alguma notícia sobre aquele tempo, meu coração chega a dar um aperto, e meu sorriso logo se abre, lembrando de um tempo em que só o que importava era ser feliz, amar loucamente, gritar, cantar e pular caputs de carro...Ah, já bebi água de pia também por não ter grana...mas isso é uma outra história,rsrrsrs.

Amor de fã é o extremo do amor não recíproco. É amar alguém que faz parte da sua vida, sabendo que a possibilidade de você fazer parte da dela é algo surreal . Se alimentar  do ver quem se admira. É dizer “eu te amo” e dormir agarrada com uma revista, é sonhar em ter um  pedaço de papel com uma assinatura. É esperar anos por uma foto ao lado de seu ídolo Ser fã é esquecer o orgulho, é descer do salto alto para correr atrás de alguém que não sabe que você existe, sem tempo ruim, passar pelas maiores dificuldades para receber ao menos um olhar, um abraço ou um “muito obrigado”. Amor de fã é o mais sincero que existe, é amor de adolescente,é amor virtual,é entregar seu coração todos os dias sem esperar absolutamente nada em troca.
E o triste é ver que quando o tempo passa, eles ficam carecas, gordos, esquisitos, como nossos pais e você olhar pra eles e achar que são lindos do mesmo jeito.
E quando vocês, que são adolescentes hoje, toparem com um Justin Bieber da vida, escutem um conselho dos velhos Menudos, que serviria para minha mãe  na época dos Beatles, pra mim na época dos Menudos e para minha filha, hoje na época dos Jonas Brothers...
“Não se reprima, não se reprima, não se reprima...
Não se reprima, não se reprima...Pode GRITARRRRRRRRRRR!!!!!

KKKKKKKKKK










Menudos é um grupo musical, classificado por muitos como uma boyband latina de Porto Rico, criado em 1977 pelo produtor Edgardo Díaz.
Na década de 80 passaram pelo grupo Xavier Serbia, Johnny Lozada, Charlie Massó, Ray Reyes, Roy Rosello, Robby Draco Rosa e Ricky Martin, alcançando projeção nacional. O primeiro país da América Latina em que ficaram famosos foi a Venezuela, posteriormente ficaram famosos também em outros países latino-americanos México, Argentina, Colômbia, Chile, Uruguai e Brasil.
O Menudo foi um fenômeno na America Latina; no Brasil, por exemplo, arrastou milhões de adolescentes (leia-se, meninas) de todas as classes sociais, que formavam milhares de fãs-clubes, numa extensão comparada apenas à beatlemania no mundo. O Menudo na década de 1980 era o grupo musical de maior visibilidade na mídia brasileira, os garotos porto-riquenhos apareciam a maior parte do tempo em programas televisivos, de rádios, revistas, jornais, enfim toda a imprensa específica para celebridades estava voltada para o fenômeno artístico Menudo. Nesta época, os menudos de Porto Rico chegavam a fechar os mais caros hotéis no país apenas para seu staff; os shows só podiam ser realizados nos maiores estádios de futebol das principais cidades brasileiras, devido ao imenso tamanho do público; e produtos como camisetas, bottons, álbuns, pôsteres, etc. vendiam tanto, que o grupo se sustentaria apenas com a venda destes, sem mencionar os shows e discos.
Na época que o Menudo atingiu seu apogeu na América Latina, seus componentes eram - os então adolescentes - Robby Rosa, Charlie Massó, Roy Rosselo, Ray Reyes e o ainda famoso Ricky Martin, este na época um pré-adolescente. 


 Mas o tempo, não é ingrato só com as fãs, os ídolos também tem prazo de validade, vejam os menudos e outros " Gatos" que agora foram para o final da prateleira.
Olha isso!!!! Robby Rosa, hoje eu não pulava nem um quebra-molas kkkkkkk
É um agente musical, inclusive do recém saído o armário Ricky Martin
Até que este ainda é gato.

Roy...Hoje vive na Bahia, já tentou várias vezes voltar a mídia  como cantor, mas não teve muita sorte "ainda"

Este era muito gato mesmoooo
Quase um Vinho, pena que saiu do Amário rsrs
Olha o cabelito rsrsrs

Não decepcionou pelo menos, hoje é um dos maiores Galãs de novelas no Equador.

Mas tem mais gente..Calmaaaa!

Cledddoooooooo!


Mickey Rourke, me explica isso gente... Virou o coringa? é isso? Fez o teste para o "Se beber não case e arrancou um dente? ... Não to entendendo....




Share on Google Plus

4 comentários:

  1. Izabelle, tbm fui fã de carteirinha dos MENUDOS, eu até fundei na época um fã clube para eles,Roberto Canázio,era nosso padrinho...muito bommmmm amei seu texto!

    ResponderExcluir
  2. Olá Iza!
    Que linda história.
    Acho que todo mundo um dia já foi fã de algum ídolo!
    Parabéns pela história.Maravilhosa.
    Bsj

    ResponderExcluir
  3. Olá Izabelle, este grupo não conhecia, mais o texto ficou massa de mais rsrs...
    Sabe tudo que vc escreveu é verdade, quando a gente é fã de alguém faz coisas que nem imaginamos.
    Eu sou loucaaaaaaaaaa pelo Justin Bieber, acredita que quando viemos embora de Cabo Frio , fiquei só pedindo pra mamãe comprar uma revista dele que vi aí e ainda não tinha na minha coleção.Ai Passamos no boulevard e não achei, viemos embora. Depois que a mamãe andou mais de uma hora na estrada, e eu só falando da revista ela fez um retorno e voltou até o supermercado Extra de Cabo Frio. Puxa!!! Foi uma alegria só comprar esta revista e olha que ela custou só R$ 2,99 rsrsrs atrasamos nossa viagem horas mais valeu apena !!!

    ResponderExcluir
  4. Olá Izabelle, este grupo não conhecia, mais o texto ficou massa de mais rsrs...
    Sabe tudo que vc escreveu é verdade, quando a gente é fã de alguém faz coisas que nem imaginamos.
    Eu sou loucaaaaaaaaaa pelo Justin Bieber, acredita que quando viemos embora de Cabo Frio , fiquei só pedindo pra mamãe comprar uma revista dele que vi aí e ainda não tinha na minha coleção.Ai Passamos no boulevard e não achei, viemos embora. Depois que a mamãe andou mais de uma hora na estrada, e eu só falando da revista ela fez um retorno e voltou até o supermercado Extra de Cabo Frio. Puxa!!! Foi uma alegria só comprar esta revista e olha que ela custou só R$ 2,99 rsrsrs atrasamos nossa viagem horas mais valeu apena !!!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar em meu Blog, sua visita é uma honra, caso deseje fazer alguma solicitação pode usar meu e-mail valladares@grupoliterarte.com.br