Nove Invenções que foram acidentais e revolucionaram o Mundo!

9 invenções que foram acidentais e você não sabia


Conheça 9 invenções importantes que foram descobertas de maneira acidental e você nem fazia ideia!


1- Dinamite



Na tentativa de estabilizar a nitroglicerina, um líquido explosivo, o químico e engenheiro sueco Alfred Nobel e sua equipe, presenciaram alguns acidentes. Um deles acabou sendo fatal para seu irmão mais novo e algumas outras pessoas, em Estocolmo, na Suécia, no ano de 1864.


Após o acidente, e a descoberta da instabilidade da nitroglicerina, ocorreram algumas especulações de que Nobel começara a trabalhar duro na tentativa de encontrar uma forma de armazenar os materiais explosivos com segurança. Além de testar formas de detonar os explosivos.


Alguns dizem que Nobel encontrou a chave para estabilizar a nitroglicerina por meio de outro acidente. Enquanto transportava o material explosivo, algumas latas quebraram e o líquido começou a vazar, mas foi perfeitamente absorvido pelo material que envolvia as latas – o diatomito, um tipo de rocha sedimentar. O que levou Nobel a explorar este material como estabilizador dos explosivos.


Em seguida, Nobel criou uma fórmula que permitiu misturar o explosivo com diatomito, sem prejudicar sua potência. Ele patenteou sua invenção em 1867, dando o nome de dinamite.


2- Forno Microondas


Percy Spencer, um americano que trabalhava na empresa Raytheon produzindo magnetrons (um tipo de tubo que libera energia para sustentar radares), descobriu as microondas através de um pequeno incidente. Enquanto cientista na Segunda Guerra Mundial, Spencer foi visitar um laboratório da empresa Raytheon e notou algo estranho ao inspecionar um magnetron: uma barra de chocolate presente no seu bolso havia derretido.


Após este episódio, Spencer foi em busca de outros alimentos para “desafiar” o aparelho, e decidiu optar por grãos de milho. Depois do sucesso com a pipoca e outros alimentos, em 1945, Spencer inventou uma outra máquina com tecnologia parecida, que deu origem ao microondas que temos hoje.


3- Viagra


Simon Campbell e David Roberts, dois pesquisadores que trabalharam na empresa farmacêutica Pfizer, desenvolveram uma droga com o objetivo de tratar a pressão arterial alta e uma condição cardíaca denominada angina.




No final dos anos 80, o medicamento começou a ser testado em humanos e não se mostrou eficaz como o previsto pelos pesquisadores. Por outro lado, foi verificado um efeito colateral reportado por vários pacientes, que revelaram o surgimento de ereções. Os pesquisadores da Pfizer procuraram então estudar mais sobre este efeito colateral.


Foi aí que, ao invés de usar a droga para tratar pressão alta e problemas cardíacos, o grupo lançou um novo teste para disfunção erétil. E o resultado foi um sucesso! O Viagra, como foi chamado, foi aprovado pela FDA (Food and Drug Administration) em 1998.


4- Marca-passo


Com o pensamento revolucionário de como corrigir problemas naturais no corpo humano, Wilson Greatbatch foi em busca de uma solução para o “bloqueio cardíaco”, um problema no qual o coração não recebe mensagens dos nervos para bombear o sangue corretamente.




Diferentemente de outros cientistas que utilizavam grandes aparelhos para estimular o músculo cardíaco, Greatbatch queria inventar um implante menor para fazer o trabalho.


Enquanto construía um oscilador para gravar os sons das batidas do coração em animais na Universidade de Cornell, em 1958, ele acidentalmente pegou o transistor errado e instalou em seu dispositivo. Mesmo percebendo o erro, Greatbatch estava curioso para saber o que aconteceria. Ele ligou o oscilador, apesar de achar que não funcionaria, e percebeu que o dispositivo emitia pulsos elétricos rítmicos – um padrão conhecido similar ao de um coração.


Sua invenção, conhecida como o marca-passos de hoje, era ideal para enviar pulsos ao coração. Ele aprimorou o dispositivo testando em animais antes de implementá-lo em um humano pela primeira vez, em 1960.


Antes disso, os dispositivos que funcionavam como marca-passos eram do tamanho de uma televisão e davam choques quando eram ligados.


5- Velcro


O que Velcro, pelo de cachorro e carrapicho têm em comum?


Para o engenheiro elétrico George De Mestral, tudo. Depois de voltar do passeio com o seu cachorro, De Mestral percebeu como os carrapicho se prendiam perfeitamente ao pelo do seu cão. Com isso em mente, pegou um microscópio para examinar o efeito de perto.




Ele descobriu que o carrapicho é formado por vários ganchinhos que se grudam facilmente aos fios da roupa e aos pelos do seu cachorro. Pensando nisso, o engenheiro testou vários outros materiais, criando superfícies com ganchos e fios para criar um vínculo mais forte. Em 1955, De Mestral definiu o nylon como material para aperfeiçoar sua invenção acidental, e a chamou de Velcro.

Até hoje utilizamos o Velcro diariamente.


6- Sacarina (Adoçante)


Sacarina é o adoçante artificial mais antigo e foi descoberto em 1879 pelo pesquisador Constantine Fahlberg, que estava trabalhando na Universidade Johns Hopkins, no laboratório do professor Ira Remsen.




Enquanto trabalhava na universidade, o pesquisador deixou derramar um produto químico em suas mãos. Fahlberg esqueceu da higiene e não lavou as mãos antes do almoço, o que fez com que o gosto do pão que comeu se tornasse adocicado.


Em 1880, os dois cientistas divulgaram a descoberta, mas em 1884, Fahlberg conseguiu uma patente e começou a produção da sacarina sem Remsen. 

O uso da sacarina se popularizou após o açúcar ser racionado durante a Primeira Guerra Mundial e também com a fabricação de adoçante e refrigerantes diet.


7- Batata chips



Essa foi uma invenção de um chef meio descontente que ocorreu em 1853. George Crum, cansado das reclamações de um cliente que insistia em devolver suas batatas fritas de volta à cozinha afirmando que eram muito grossas e não crocantes o bastante, resolveu cortá-las de forma extremamente finas e fritá-las, fazendo com que seu cliente ficasse satisfeitíssimo.


Depois desse episódio, a batata se tornou bastante popular.


8- Raio-X


Em 08 de novembro de 1895, Wilhelm Conrad Röntgen acidentalmente descobriu uma projeção de seu gerador de raios catódicos que estava muito além do possível alcance dos raios catódicos (agora conhecido como um feixe de elétrons). Outras investigações mostraram que os raios foram gerados no ponto de contato do feixe de raios catódicos no interior do tubo de vácuo, que não foram desviados por campos magnéticos, e que penetraram muitos tipos de matéria.

Uma semana depois de sua descoberta, Röntgen tirou uma fotografia de raios-X da mão de sua esposa, que revelou claramente seu anel de casamento e seus ossos. A fotografia despertou grande interesse científico público na nova forma radiação. Röntgen nomeou a nova forma de radiação de “radiação-X” (X está para “Desconhecido”). Assim, o termo raios X (também referido como raios Roentgen, embora este termo seja incomum fora da Alemanha).


9- Coca-Cola


Tudo o que o farmacêutico John Pemberton queria era criar uma cura para dor de cabeça e, para isso, misturou uma porção de ingredientes – não adianta perguntar quais, pois se soubesse eu que estaria extremamente rico – mas folhas de coca (também utilizadas como ingredientes da cocaína) e nozes-de-cola estão entre os principais. Daí surgiu o nome, sugerido pelo contador de Pemberton.

O refrigerante foi comercializado pela primeira vez em 8 de maio de 1886, numa farmácia em Atlanta, como um tônico.

0 comentários:

Obrigada por comentar em meu Blog, sua visita é uma honra, caso deseje fazer alguma solicitação pode usar meu e-mail valladares@grupoliterarte.com.br

Por que existe o ditado " O Pior cego é aquele que não quer ver? "

Alguns anos antes da revolução Francesa, os ânimos em terras francesas não estavam nada agradáveis , um grupo de Médicos ousou tentar levar a visão a um homem com um teste para o 1º Transplante de Córneas da História que seria um marco na evolução da medicina.

O Centro de estudos ficava na cidade de Nimes, onde existia uma Universidade de Estudos avançados no assunto lideradas pelo Doutor Vicent de paul D'argent e o aldeão escolhido chamava-se Angel, cego de nascimento que foi usado como cobaia para os experimentos.
Acontece que após muitas experiências este grupo de médicos e cientistas obteve sucesso e conseguiram devolver a visão a este homem, e foi um marco para a evolução da medicina da época, estamos falando do século XVII.  O Homem saiu do centro de estudos muito agradecido por esta dádiva, pois nunca havia enxergado na vida.
Ao sair, deparou-se com todas as crueldades já impostas pelo rei , mortos pelo caminho e a desigualdade social , a fome e todos os horrores causados pela mesma.
O mundo que viu era tão inescrupuloso que era melhor não vê-lo.
Angel voltou ao centro e pediu aos médicos que lhe arrancassem os olhos. Ele preferia voltar a ser cego.
O caso rendeu e foi parar nos tribunais, em Paris não conseguiram resolver e mandaram o caso ao Vaticano, que certos de que o homem , principalmente naquela época de muita fé e pouco ceticismo, não deveria interferir nas escolahs de Deus deu ganho de causa ao ex e futuro cego, o Aldeão. Este  conseguiu o direito de não enxergar aquele mundo de crueldades que lhe fora apresentado e assim viveu até o último de seus dias.
E a notícia que corria na época era que o Pior cego é aquele que não quyer ver.

1 comentários:

Obrigada por comentar em meu Blog, sua visita é uma honra, caso deseje fazer alguma solicitação pode usar meu e-mail valladares@grupoliterarte.com.br

Antologia Viagem pelo Mundo III - Paris- Genebra e Moçambique

Seguindo o exemplo do sucesso dos livros Viagem pelo mundo 1 e 2 , a Literarte agora convida você a aprticipar do Livro Viagem pelo mundo 3, que será lançado no Salão do Livro de Paris e no Salão de Genebra e será doado para uso durante o ano letivo na Escola Portuguesa em Moçambique e no Interior de Pernambuco em uma escola muito carente.
Esta é uma forma de levar eu trabalho além fronteiras. 
Capa do Livro 1 - Ilustrações de Danilo Marques 
Participem do livro Viagem Pelo Mundo III
 Com o objetivo de propagar a cultura e incentivar a leitura entre as crianças, a Literarte lança maisum projeto que desta vez terá destino à França, Suiça e Moçambique e no Brasil em Pernambuco. 
Trata-se da antologia Viagem pelo mundo III, que reunirá textos selecionados, com otema Livre, que deverão abordar aspectos culturais, sociais, geográficos  ou históricos de um país específico, visando a divulgação da diversidade cultural existente no mundo para crianças (Primeiro leitor 6 á 12 anos)
Os textos poderão citar lendas, fatos interessantes, diálogos entre crianças de nações diferentes, animais de determinada região, alimentos típicos de determinado país, diversidades religiosas ( Não Preconceituosa ou Xenofóbica), diversidades linguísticas, aspectos climáticos etc...) 
  Os textos  deverão ser enviados para o e-mail editora@grupoliterarte.com.br  com cópia para diretoria@grupoliterarte.com.br.
O Texto enviado não deverá ultrapassar o tamanho limite de 1 folha A4, cada autor terá seu texto com ilustrações coloridas e deverá enviar foto em alta resolução (Aquele que não enviar a foto em alta resolução , não terá sua foto publicada no livro para não comprometer a qualidade da obra e atrapalhar o sucesso do livro) 
O livro será lançado nas respectivas e importantíssimas feiras:
Março: Salão do Livro de Paris e Feira do Livro de Cabo Frio ( Semana Teixeira e Souza) 
Maio: Salão do Livro de Genebra
Junho: Moçambique em local que ainda será definido
A antologia contará com uma edição bilíngue em Português e Francês.
Cada autor deverá proceder ao pagamento de R$ 600,00 (seiscentos reais), caso queira participar somente da versão em português, pagando em duas parcelas de 300,00 ou R$1000,00 (hum mil reais)  participando nas versões em Português e Francês, pagando em 2 parcelas de 500,00.
Sendo: 600,00 – 1ª parcela: até o dia  30/01 /  e até o dia 5 de março a  2ª parcela 
(Somente na versão em Português) 
 Ou  1000,00- 1ª parcela:  até o dia 30 de Janeiro e  2ª parcela: até o dia 5  de março
Parcelamos em até 3 vezes no cartão de crédito.
  Não é possível, participar somente da versão em Alemão, por conta dos custos da tradução.
 (Lembramos que é necessário aguardar a notificação que seu texto foi aprovado, antes de proceder a qualquer pagamento. A mesma será enviada individualmente em até 48 horas após o envio do texto, mas o resultado só será publicado oficialmente após as confirmações de participação,sendo divulgado  no dia 21 de Janeiro)
Os escritores que participarem da versão em Português receberão 15 exemplares neste idioma. Sendo 12 exemplares de participação, e três exemplares por direitos autorais.
Os Escritores que participarem das versões em Português e Francês, receberão 30 exemplares de cada idioma. Sendo 25 exemplares de participação e cinco exemplares por direitos autorais.
 Esta é uma oportunidade única de divulgar seu trabalho, através da antologia que viaja pelo mundo!
Todos terão suas fotos e nomes e contatos divulgados na próxima revista da Literarte. 
Regulamento: 



Regulamento da coleção  “Viagem pelo Mundo III”

Tema: Livre
>Os textos enviados devem contar com aspectos culturais, sociais ou históricos..Visando o conhecimento da diversidade cultural existente no mundo.  Os textos poderão citar lendas, fatos interessantes, diálogos animais de determinada região, alimentos típicos de determinado país, diversidades religiosas ( Não Preconceituosa ou Xenofóbica), diversidades lingüísticas, aspectos climáticos etc...)
Produção:
Literarte  - Associação Internacional de Escritores e Artistas
Lançamentos: Salão do Livro de Paris e Salão do Livro de Genebra no Brasil em evento ainda não agendado
Regulamento:
Prazo para envio dos textos:  20 de janeiro de 2013
1) DA PARTICIPAÇÃO:
1.1.  A coletânea  é promovida e representada  legalmente neste ato, pela Literarte - Associação Internacional de Escritores e Artistas.
1.2. Poderão participar da antologia todas as pessoas físicas maiores de 18 anos, ou menores com permissão do responsável, residentes legais no Brasil, bem como brasileiros residentes no exterior. Também poderão participar da Antologia escritores de outras nacionalidades, desde que a língua mantida seja a língua portuguesa.
1.3.  Das características da coletânea: A coletânea receberá única e exclusivamente
contos, fábulas e histórias cujo tema seja infantil, direcionado ao primeiro leitor (04 a 8
anos) e ao segundo leitor (08 a 12 anos) sendo que a criatividade e imaginação do escritor darão o toque e estilo ao trabalho.
1.4. A participação se dará no sistema de cotas, sendo que cada autor deverá proceder ao pagamento de R$ 600,00 (seiscentos reais), caso queira participar somente da versão em
português, pagando em duas parcelas de 300,00 ou R$1000,00 (hum mil reais)  participando nas versões em Português e Francês, pagando em 2 parcelas de 500,00.
Sendo: 600,00 – 1ª parcela: até o dia  30/01 / até o dia 5 de março a  2ª parcela

(Somente na versão em Português)

 Ou  1000,00- 1ª parcela:  até o dia 30 de janeiro  e  2ª parcela: até o dia 05 de março


Parcelamos em até 2 vezes no cartão de crédito.

 (Lembramos que é necessário aguardar a notificação que seu texto foi aprovado, antes de proceder a qualquer pagamento. A mesma será enviada a todos os .
1.5 Os escritores que participarem da versão em Português receberão 15 exemplares neste idioma. Sendo 12 exemplares de participação, e três exemplares por direitos autorais.
Os Escritores que participarem das versões em Português e Francês, receberão 30 exemplares. Sendo 25 exemplares de participação e cinco exemplares por direitos autorais.
O livro será distribuído gratuitamente em diversas entidades na Europa e nos países em que a Literarte se fizer presente durante o ano de 2013. 
E será utilizado por escolas em Moçambique.
1.6  - SOBRE A FORMATAÇÃO DO LIVRO  

a)      Cada autor deverá enviar um texto em 1 página do Word, com formato A4 e em fonte Times New Roman. A biografia precisa ter até 7 linhas, e a foto com uma resolução mínima de 600 pixels de 300 DPI.
Obs: O texto e a ilustração por autor ocuparão duas páginas, a biografia será impressa num encarte especial, no final do miolo do livro.
b) Das especificações:
Formato: 280 X 170 mm (fechado) em papel supremo 250 e miolo em papel couchet
Ilustrador: contratado pela editora
Componentes:
Contra-capa com fotos dos autores.
1.7. A presente antologia será confeccionada pela Literarte, e será registrada, receberá
ISBN , mas cada autor é responsável por registrar suas obra.  A antologia tem como
finalidade estimular a produção de contos, formação e divulgação de novos autores.

2)DA ACEITAÇÃO DOS CONTOS
2.1. Serão aceitos apenas contos, fábulas e poesias em língua portuguesa, de temática
pertinente a antologia, com limite de 1300 caracteres com espaços  de 1,5 entre linhas, fontes times tamanho 12, acompanhados dos dados de inscrição que constam no parágrafo 5.5 desse regulamento.
2.2.  Não serão aceitos fanfics nem contos que pertençam ao universo de personagens já
existentes criados por outro autor.
2.3.  Os contos devidamente formatados, os dados de inscrição e demais documentos de autorização deverão ser enviados para  editora@grupoliterarte.com.br, com cópia para diretoria@grupoliterarte.com.br.  
2.4. Os contos inscritos deverão contemplar, obrigatoriamente, os seguintes elementos:
(a) narrativa em primeira pessoa ou terceira pessoa;
(b) temática da antologia (infantil ), sendo que o tratamento dado ao tema será de
exclusividade de cada autor.
2.5.  Caso o autor deseje que seu conto tenha mais do que o espaço reservado de 1300 caracteres, ele terá a opção de adquirir o valor de duas cotas, assim podendo ampliar seu espaço na antologia. Os procedimentos são os mesmo citados no item 1.5 desse regulamento e receberá o dobro de exemplares.
 3) NÃO SERÃO ACEITOS CONTOS QUE:
(a) possam causar danos a terceiros, seja através de difamação, injúria ou calúnia,
danos materiais e/ou danos morais;
(b) ofendam a liberdade de crença e as religiões;
(c) contenham dados ou informações racistas ou discriminatórias;
(d)  tenham a intenção de divulgar produtos ou serviços alheios aos objetivos da
antologia ou que tenham qualquer finalidade comercial;
(e) façam propaganda eleitoral ou divulguem opinião favorável ou contrária a partidos
ou candidatos;
(f) tenham sido produzidos por terceiros;
(g)  que não venham formatados nas normas estabelecidas por esse regulamento e
descritas no item 2.1.


4) DOS CONTOS INSCRITOS:
4.1. Os contos inscritos serão analisados e selecionados mediante avaliação do profissional
nomeado pela organização da Antologia, cujas decisões serão soberanas e irrecorríveis. A avaliação se dará com base nos seguintes critérios:
(a) criatividade e originalidade do enredo;
(b) adequação do enredo ao universo ficcional do livro
(c) impacto do conto e qualidade dos recursos narrativos utilizados.

4.2. Ao se inscrever na Antologia o autor autoriza automaticamente a veiculação de seu conto, sem ônus para a Editora nos meios de comunicação existente ou que possam existir com a intenção de divulgar a antologia.

5.0. As inscrições para a Antologia estão abertas às 24h00min do dia 30 de novembro de 2013 e encerradas no dia 20 de janeiro de 2013,podendo ser encerradas antes,caso o número de contos recebidos e avaliados sejam aprovados antes da data, no formato e padrão já descritos.
As inscrições só poderão ser feitas pelos e-mails acima citados. OS NOMES DOS SELECIONADOS SERÃO DIVULGADOS AO FINAL DA SELEÇÃO.

5.1. Inscrições por e-mail: o candidato deve enviar, anexado a uma mensagem eletrônica, o arquivo (doc) contendo seu texto para o endereço  editora@grupoliterarte.com.br
5.2  No corpo da mensagem, o autor deverá fornecer as outras informações exigidas por este regulamento para que se efetue a inscrição.
5.3. Um determinado conto poderá ter mais de um autor, num número limite de dois. Um
determinado autor poderá participar da antologia com mais de um conto, desde que
observado o parágrafo 1.5 e 2.5 desse regulamento.
5.4. As inscrições são gratuitas.
5.5. Para participar os candidatos deverão, além de enviar um ou mais textos de acordo com as regras estabelecidas neste regulamento, fornecer as informações a seguir:
(a) nome completo do autor do conto e de seu responsável legal( se for menor de idade);
(b) data de nascimento;
(c)  número do documento de identidade pessoal e do responsável legal(se for menor de
idade);
(d) endereço físico e eletrônico, completo e legível;
(e) telefone fixo e celular;
(f) informação de onde e como ficou sabendo da antologia;
(g)  autorização por escrito assinada pelo responsável (se for menor de idade) e fotocópia legível do documento de identidade do mesmo (cópia escaneada e enviada junto com o email);
 (h) frete de entrega dos livros será por conta do autor.
5.6. Só serão aceitas inscrições através dos procedimentos previstos neste regulamento. Os dados fornecidos pelos participantes, no momento das inscrições, deverão estar corretos, claros e precisos. É de total responsabilidade dos participantes a veracidade dos dados fornecidos à organização da Antologia .
5.7. Em caso de fraude comprovada, o conto será excluído automaticamente da antologia.
5.8.  Os participantes concordam em autorizar, pelo tempo que durar a antologia com a
editora, que a organização faça uso do seu conto, suas imagens, som da voz e nomes em
mídias impressas ou eletrônicas para divulgação da Antologia, sem nenhum ônus para os organizadores, e para benefício da maior visibilidade da obra e seu alcance junto ao leitor.
5.9 A Literarte reserva-se o direito de alterar qualquer item desta Antologia, bem como interrompê-la se necessário for, caso nãoalcance o numero suficiente de participantes , fazendo a comunicação expressa para os mesmos.
6.0 A participação nesta Antologia implica na aceitação total e irrestrita de todos os itens deste regulamento.







Informações: 
Livro 2- Ilustrações de Wanderley Mayhé 

0 comentários:

Obrigada por comentar em meu Blog, sua visita é uma honra, caso deseje fazer alguma solicitação pode usar meu e-mail valladares@grupoliterarte.com.br