Enfelize-se

O maior mistério da vida, é o seu tempo de chegar ao fim. Sabemos disso desde que nos tornamos conscientes e não nos cansamos de fazer planos: Plano A + plano B= Plano C. Sempre  tentando ajustar o tempo que nos resta ao tempo que iremos consumir,mesmo,sendo este uma incógnita. A frase clichêt é que na vida só temos certeza da morte e que é necessário ser feliz todos os dias, mas, porquê na prática ser feliz todos os dias é tão difícil, mesmo que pareça simples?  Acredito que busquemos algo fora de nós que deveríamos buscar em nosso interior. O que nos acalma, nos completa, nos dá Prazer,  nos dá êxtase,  nos dá paz está tudo guardado dentro de nós a sete chaves e liberado apenas por nós mesmos,  mas temos a perigosa atitude de achar que nossa felicidade está nas outras pessoas, nos bens que conquistamos e perdemos a cada dia um dia de experiência nessa longa jornada chamada "vida", desperdiçando o que a natureza, perfeitamente colocou dentro de nós: O dom de ser feliz!
Sou uma pessoa caracteristicamente feliz, desde criança,  sou feliz com o simples,  com formatos de nuvens,  com observação de raios,  com brigadeiro de colher,  mas também sou feliz em jantares maravilhosos em Castelo medievais, em ilhas paradisíacas,  em braços aquecidos de conchinha.Justamente por aprender a entender, que a felicidade está comigo, sou eu quem carrego ela pra onde eu vou e não as coisas ao meu redor. O peso da infelicidade e da insatisfação é um peso muito difícil de ser carregado, pois lá na caixinha do nosso interior,  lá no fundinho,  guardado há sete chaves,  há o compartimento da felicidade que é capaz de carregar toneladas de frustrações,  de decepções e de infelicidades, todas elas permitidas por nós mesmos de ficar ali e infelizmente,  muitas vezes mais permitidas de entrar que a felicidade que nos faz bem. Felicidade precisa ser leve, ser forte,  ser intensa, mas ser despreocupada, e naturalmente liberada. É lógico que há percalços para se compreender isso, é preciso libertar-se de preconceitos,  de tempo, de culpa,  pois muitas vezes deixamos em nossa felicidade as marcas da infelicidade de alguém,  mesmo que tenhamos amor por este alguém e magoá-lo, infelizmente,  também faça  parte de nossa liberdade de uso da mesma , mas, é justamente na hora de pesar o que importa, que temos que ir lá na nossa caixinha interior e abrir os dons da felicidade que transformam,  para esta possa nos transformar em prol de nós mesmos. Libertar-se é preciso. Vejo casos e já vivi muitas vezes o mesmo caso, em que nos prendemos a relações a dois,  que são praticamente unilaterais, pois não enxergamos que não é a nossa felicidade que está na balança e sim a felicidade de nosso parceiro, e mesmo que não sejamos dedicados o suficiente,  estamos sempre nos sentindo pela metade,  não é justo não Sentir-se suficientemente amado, não é aceitável não amar ao extremo. Não sentir o momento mágico em que acorda e se depara com uma pessoa que era tudo o que você queria. É justo sentir-se preso a felicidade de outras pessoas e colocar a nossa em jogo?  Felicidade não é palpável,  mas é visível, a energia positiva que recebemos em ser felizes resplandece em nossos olhos,  em nosso rir,  em nosso dormir,  em nossa capacidade intelectual e física. Não tem cor, não tem cheiro, não tem tez, não tem crime, não tem laço, não tem calor,  mas tem superfície e tem profundidade,  tem gargalhadas e tem lágrimas, não tem calendário nem relógio, tem somente uma caixinha lá na gaveta da alma, guardando segredos que só nós podemos e sabemos como usa-los. Enfelize-se!Simples Assim!









"Só quero uma canção :Fácil,  extremamente fácil,  pra você e eu e todo mundo cantar junto! " 

Crônica escrita no dia 20 de junho às 03:36, na cidade de Aracaju, medindo os passos para a felicidade.
Share on Google Plus

Um comentário:

Obrigada por comentar em meu Blog, sua visita é uma honra, caso deseje fazer alguma solicitação pode usar meu e-mail valladares@grupoliterarte.com.br