Lamento informar, mas, o amor não vence tudo!

Lamentavelmente o título desse texto não é pra chamar atenção, ou é qualquer pegadinha  pra fazer você clicar com uma frase controversa. Infelizmente é uma frase afirmativa. O amor não vence tudo. Não vamos aqui discutir a teoria nietzschiana de que o amor romântico não existe, eu acredito que ele existe e é capaz de vencer muito mais barreiras que o amor seco. Segundo a mesma,  somente amamos os nossos desejos, o efeito que esses desejos e suas conquistas causam em nós, e não amamos verdadeiramente os objetos destes desejos. Não concordo com o niilismo dele, mas não vou entrar neste mérito. Meu ponto é que o amor, definitivamente, não vence tudo. O que observo muitas vezes é que o amor nem é o mais importante em uma relação a dois. 

Resultado de imagem para amor
O amor é importantíssimo, imprescindível,indispensável na vida de qualquer ser humano que escolheu levar a vida acompanhado, seja de quem for e de que sexo for,  mas, no apagar das luzes, amor não lava a louça, não passa roupas, não pega remédio de madrugada e muito menos paga as contas. Amor não cura traumas, não arruma a bagunça da sua casa nem desliga o som quando você ouve pela milésima vez em uma semana o seu Samba preferido, ou pior, o sertanejo preferido e no volume máximo. O amor é passivo. Você sente e ele está lá, sem que você precise fazer nada. O problema são as coisas que não são passivas, que dependem ativamente de nós, do nosso esforço, da nossa resiliência, da nossa força de vontade de fazê-las acontecerem.O Amor não acorda todo dia de bom Humor, o amor que um dia vai te ver chegando alcoolizado e achar engraçado, um dia vai te pegar contrariado e não achar graça alguma, vai olhar você esparramado na cama perdido entre os travesseiros e vai achar aquilo tudo uma merda. E querer correr dali como o papa-léguas. 
 De nada adianta a paixão avassaladora aterrissar no seu coração se você não está disposto a encarar todo o resto, a tentar superar as dificuldades, a sair da sua zona de conforto, pois é isso que o amor faz em nossa vida, nos tira da Zona de conforto, nos ensina a necessidade de mudar, de crescer, de nos ajustar e se você não estiver disposto a estas mudanças, tenha certeza, não é amor que você sente e mesmo assim, em algum momento, você vai achar que já está cedendo demais, e nessa hora, precisa perceber se não está amando ao próximo mais que a você mesmo, e cedendo coisas que tiram de você o que você tem de único: A sua personalidade. 
Isso se aplica em qualquer relação de amor, seja entre pais, entre filhos, entre amigos, entre você e seu bicho de estimação. Todas em algum momento tiram você de sua zona de conforto. 
Para alguns, a paixão fala mais alto, para outros, o dia a dia fala mais alto. Não cabe a ninguém julgar essas escolhas. São escolhas pessoais e cada um tem o seu motivo. Fato é que muitos amores deixados pelo caminho por conta de outros motivos poderiam ter dado certo, assim como muitos amores levados adiante não conseguiram vencer as dificuldades.
Há fases em nossas vidas que nos deixam vulneráveis e ás vezes confundimos, vontade de quebrar uma rotina com ausência de amor. 
Eu já vivi uma fase idiota dessas e garanto, os efeitos são catastróficos. 
Amar não é ir na padaria buscar um sonho ou tomar todas juntos quando a grana está sobrando. Amar é dedicação diária, exercício cotidiano de paciência, entender os defeitos que aceitamos, entender os que não precisamos aceitar e pontuar isso na relação, entender que o outro não é a sua metade, aliás, não é sequer a sua quarta parte, ele é apenas o outro, que tem vontades e tem limites próprios, que vai engordar, vai emagrecer, vai ficar careca, vai ficar cabeludo, que vai se machucar e você vai precisar estar lá, vai precisar respirar fundo antes de ceder a qualquer tentação que não vai nos levar a lugares sem sentido porta a fora, aceitar as bagagens da vida um do outro, saber que em alguns momentos você vai querer chorar e pedir socorro e saber que não pode, pois o outro também está precisando de sua força.E naquele momento, você vai saber se é amor de verdade. Porque quem ama não foge. 
Enfim... amor não vence tudo, não é perfeito, não é indestrutível, o que vence tudo é a sabedoria de querer estar na hora certa com a pessoa certa, de cuidar bem do seu dia-a-dia, de saber que as palavras ferem, mas que o silencio as vezes fere muito mais, e na hora de uma boa discussão, quem tem o poder do silêncio, vira Rei.  O que vier a mais, depois do amor,  emana naturalmente. 
Izabelle Valladares. 
Share on Google Plus

Um comentário:

  1. Olá Izabelle, achei interessante este seu pensamento, e gostaria de acrescentar que o amor precisa de tudo isso para se manter vivo, precisa também que a pessoa que ama se comporte como um jardineiro, ou jardineira, que vai regando as plantinhas, separando com cuidado tudo o que pode atrapalhar o desenvolvimento deste jardim, e ficar sempre atento para que em um movimento brusco não arranque sua plantinha mais delicada.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar em meu Blog, sua visita é uma honra, caso deseje fazer alguma solicitação pode usar meu e-mail valladares@grupoliterarte.com.br