Não se deixe acomodar em uma relação a dois!

Não se deixe acomodar em uma relação a dois!  
Começando a semana, sempre reflexiva, penso no que nos transformamos para nos acomodarmos em um relacionamento “estável” socialmente.
Para começar, relacionamento bom é o consigo mesmo, você se entende, sabe o que você quer, sabe o que lhe falta, sabe o que deseja, sabe o que lhe atrai os olhos e o que lhe repele, quando passa a ter que se relacionar com outrem, pois na verdade temos essa necessidade, e tiro o chapéu para quem não tem, passamos a ponderar a nós mesmos para se enquadrar em uma outra pessoa e quando isso acontece,muitas das vezes, deixamos nosso “eu “ em stand by, as vezes por uma pessoa que só está ali por estar, não porque você é indispensável na vida dela, mas, talvez, porquê você seja o monte de travesseiros que lhe acomodam como ele sempre quis ser acomodado, e enquanto ele se acomoda , você se incomoda! Então a pergunta clássica.Será que é você que está no lugar errado?
Muitas vezes me sinto assim!
Não sou a politicamente correta, amo intensamente, vivo intensamente, mas sempre sou a primeira a chutar o pau da barraca quando a relação me incomoda. Isso representa pra mim qualquer relação interpessoal, não apenas no amor, porque sempre me escolho, e todas as vezes que pensei em escolher outra pessoa no meu lugar, me dei mal com isso.
Acomoda-se em uma relação quem é acomodado consigo mesmo! Falta de coragem em ser você mesmo, falta de coragem pra dizer ao outro, olha... essa relação não está legal. O medo de ficar encalhado,acaba te encalhando em uma ilhota falsa, onde você está cercado de água, sol e mar, e rodando em falso, em círculo vicioso, mal resolvido. Não está contente consigo mesmo e não encontra forças para dar um basta naquilo, para admitir para a sociedade que errou, que não era bem aquilo que as pessoas achavam, e que estar infeliz não é sua praia. Esse tipo de relação indicam um ganho secundário.Ela Vale a pena de alguma forma. Entretanto, o preço que paga é muito alto, pois não se realiza. Fica devendo para si mesmo e este é um caminho da infelicidade. Quem lhe quer bem, te conhece, sabe o que te agrada e não vai fazer joguinhos de infelicidade com você. Se o seu parceiro ou parceira, chefe ou filho, ou amigo não se importa mais em lhe agradar, em lhe tratar bem, em lhe conquistar, pode ter certeza que você está valendo nessa relação tanto quanto uma nota de 3 reais.
Esse comodismo pode ser gerado por questões financeiras, pode ser que você não tenha auto-estima suficiente para aceitar que outras pessoas podem te amar muito mais, pode ser que seja muito reprimido sexualmente, pode se sentir inapto para conquistar alguém bacana. Assim, você desiste de procurar uma pessoa melhor para sua vida e se acomoda com o que tem. E essa aceitação, gera uma corrente de infelicidade que uma hora você pode acordar e se deparar com ela até o pescoço. Você dá sinais, não é de uma hora pra outra. Como aquele relacionamento de mil beijos, bilhetinhos, carinho, sexo bom, reciprocidade foi virando algo que beira o frio ou beira a tensão e você se permitiu isso? Calma... ambas as partes podem se permitir, decepções não ditas, conversas pela metade, opiniões que poderiam ser dadas e não foram, tudo isso, pode gerar um pequeno incômodo e uma hora virar um incômodo desnecessário em nossas vidas.
Os homens costumam reclamar que nós mulheres falamos demais, e com certeza algumas vezes deve ser um saco, pois quando conhecemos homens que falam demais também queremos correr deles, ainda mais quando não estamos acostumados, mas, quando estes falam de menos, é muito pior, porque estão sempre com a resposta na ponta da língua para lhe dar, mas, por algum bloqueio machista, não conseguem lhe dar, não falam de sentimentos, não falam que querem sexo diferente, não falam se já sentiram desejo por outra pessoa, mesmo estando com você, enfim, não se mostram humanos, só na hora em que erram e falam a frase nababesca pitoresca “ errar é humano” mas , ops... conversar e sentir, também é humano, beijo é humano, carinho é humano. Não somos como cachorrinhos que no final do dia ganham dois afagos na cabeça, ração fresca, e vamos sair felizes abanando o rabo e depois ouvirmos a célebre frase... o melhor dos amigos, o mais fiel, esse não me abandona. Não somos cachorros, esse amigo cão, não dorme com você, não precisa conversar contigo, não precisa pagar contas e agüentar seu stress, é sua companheira que faz isso, nada contra a fidelidade canina, mas, não podemos comparar uma relação com a outra.
As mulheres costumam ser mais exigentes para se relacionar e, quando não estão bem, querem mudanças, e se nada é feito, acabam se separando, na esperança de ter algo melhor. Os homens costumam ser mais covardes para isso. Eles tem sido mais preguiçosos para se conhecer e crescer pessoalmente. Isso é fato!
E não adianta só culpar o outro pelo fracasso da relação. Você pode também catar no seu baú sua parcela de responsabilidade por isso. O ideal é que o casal saiba conversar e entender a participação de cada um pelos acertos e desacertos da relação. Ninguém é perfeito, as relações não são perfeitas.Não somos Lego. Sabendo disso, é possível ter inteligência e criatividade para dar a volta por cima, reinventando a relação ao constatar que não está bem. Se o casal não tiver esta capacidade, ou se acomoda, ou terá de enfrentar a separação.
Não se iluda iludindo o outro. Seja “Resiliente” mil vezes se for preciso, aprenda com o erro e recomece. Não faça figuração em sua própria vida. Eu estou em um relacionamento bom no momento, mas , já começa a apresentar falhas, se estas falhas persistirem, não serei eu que vou cruzar os braços e aceitar que passei dos 40 e essa pessoa pode ser a minha tábua de Salvação, não farei jamais, assim como, não serei como Tom Hanks no Náufrago que vai buscar amizade com a bolinha de Tênis, a nossa volta tem muito mais coisas a serem vistas e vividas. Não se acomode a infelicidade, ela não te merece.E na maioria dos fins, não é falta de amor que leva a separação, é a falta de ingredientes indispensáveis em uma relação interpessoal, confiança, diálogo, flerte. Como é bom acordar com alguém romântico, receber presentes, declarações públicas e íntimas de afeto, sentir-se desejado, amado, querido. Ver nos olhos da pessoa a alegria em te encontrar, causar frisson, tesão , agora, quando encontramos uma pessoa que falta pouco fazer o sinal da cruz quando te encontra, ou dá aquela suspirada profunda, tipo...Round Four, tenha certeza, é você que está se auto sabotando na vida.
Muitos motivos empurram ao comodismo do relacionamento, Não é só falta de amor o motivo. Falta de dinheiro, de responsabilidade, de comunicação, de respeito, tudo isso atrapalha muito. A boa notícia é que muitos homens hoje em dia já estão correndo atrás do prejuízo, procurando terapias para se conhecer melhor. Também existem muitas mulheres que não conseguem se enxergar na relação e assim colaboram para a falência da mesma.
Observe quem você se relaciona. Muitas horas no celular com você ao lado, criatividade zero na cama e fora dela, distância, mundos diferentes, diálogos secos, quando te conquistou era de um jeito e agora não é mais a mesma coisa? Tente, mostre, converse, faça fazer sentido, não mande indiretas, mande diretas, jebs e joelhadas, se ainda assim a pessoa não notar o que precisa mudar, mude então você... Mude de casa, mude de planos, mude de status, mude o cabelo, troque a fantasia, mas, não mude quem você é. Não se relacione de qualquer jeito, Não fique por ficar, não fique pequena em uma relação onde você precisa ser o mundo todo.
Não conviva com mau humor com grosserias, você merece mais que isso. Excesso de críticas, falta de paciência para sonhos, isso tudo indica um abismo sem volta. Amar não é fácil, mas, mais difícil ainda é ser infeliz. Não se mate homeopaticamente para agradar ninguém, a sociedade não merece isso. Seja mais você! Você pode! Boa semana para todos nós!

0 comentários:

Obrigada por comentar em meu Blog, sua visita é uma honra, caso deseje fazer alguma solicitação pode usar meu e-mail valladares@grupoliterarte.com.br